logo


Jérôme Valcke virá ao Brasil para encontro com membros do COL

Desde janeiro sem vir ao Brasil, o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, deve voltar ao país em breve. Desprestigiado pelo governo brasileiro, o dirigente francês terá um encontro com membros do Comitê Organizador Local (COL) da Copa do Mundo de 2014 para tratar de assuntos do Mundial.

A Fifa ainda não confirma a informação, mas Valcke estará no país até o fim de maio. Ainda não se sabe, porém, se o secretário-geral da Fifa visitará alguma cidade-sede.

Já o presidente da Fifa, Joseph Blatter, ainda não tem data marcada para viajar ao Brasil. O dirigente foi convidado pela Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Senado Federal para falar sobre a Lei Geral da Copa. No entanto, como o projeto receberá caráter de emergência e deve ser votado no início de maio, é possível que Blatter não precise ir ao Congresso Nacional.

Jérôme Valcke tinha visita marcada ao Brasil no início de março, para vistorias nos estádios de Recife, Brasília e Cuiabá, além de encontro com membros do COL na capital federal. No entanto, em um evento da International Board, na Inglaterra, o francês fez duras críticas ao governo brasileiro pelo atraso nos preparativos para a Copa do Mundo de 2014 e pela demora da aprovação da Lei Geral na Câmara dos Deputados. Na ocasião, ele disse que o Brasil “merceia um chute no traseiro”.

O comentário causou revolta do governo brasileiro, e o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, exigiu oficialmente da Fifa um novo interlocutor. Mesmo com o pedido formal de desculpas de Valcke e Blatter, a relação nunca não foi mais a mesma, e Valcke não retornou ao Brasil.

Em março, Blatter se encontrou com a presidente Dilma em Brasília. Ouviu dela garantias de que o governo cumpria todos os acordos assinados em 2007, pelo então presidente Lula. Em relação a Valcke, Blatter limitou-se a dizer que esse era um problema interno da Fifa e pediu tempo para uma solução.

No fim do mês passado, convidado pelo Senado para falar sobre a Lei Geral em Brasília, Blatter disse que enviaria Valcke para representá-lo. Os parlamentares, no entanto, recusaram a presença do secretário-geral e refizeram o convite a Blatter. Dias depois, o mandatário da Fifa confirmou que viria ao Brasil, mas a data não foi marcada. [Via Globo Esporte]

Ainda não foram encontrados posts relacionados.