logo


Cinema Detalhado: A Riviera Não é Aqui – Bienvenue Chez Les Ch’Tis

Desde que tinha visto a sinopse de a A Riviera Não é Aqui fiquei intrigado e com vontade de assistir ao filme, mas por algumas obras do destino não conseguia concretizar esse desejo que finalmente ontem foi realizado. O filme é uma homenagem de Dany Boon (escritor, ator e diretor do longa) a sua região de origem e as diferenças de cultura e dialeto dentro da França. Ainda que algumas coisas fiquem difíceis de se captar pela fala dos atores a legenda tenta ajudar na medida do possível a reproduzir as excentricidades do dialeto Ch’tis.

No filme, o incrivelmente atrapalhado Philippe Abrams (Kad Merad) é acima de tudo, um marido atencioso e pai dedicado. Apesar de levar uma vida confortável em uma pequena cidadezinha do sul da França, sua esposa, Julie (Zoé Félix) está descontente com o lugar onde vivem. Para agradá-la, Philippe, tenta uma transferência para a sempre bela e famosa Riviera Francesa. Mas na ânsia de conseguir a transferência ele mete os pés pelas mãos e acaba banido para a desconhecida, fria e chuvosa cidade de Bergues, no norte da França.

timing de comédia e o entrosamento entre Merad e Boon fazem do filme um sucesso e mesmo que algumas coisas se percam na tradução, a capacidade dos dois supera qualquer dificuldade imposta por legendas e afins. A Riviera Não é Aqui é uma deliciosa comédia, sobre sonhos e conquistas, ambientada em cidades francesas, que não estão nos cartões postais. O longa trata de mostrar como as diferenças culturais as vezes assustam mais do que a realidade.

A forma como o roteiro dá uma qualidade quase sobrenatural e fantástica a Nord-Pas-de-Calais é engraçadíssima. A cena em que Philippe vai se consultar com um tio da prima de sua esposa que já viveu no norte é fantástica, assim como as pesquisas de marido (na livraria) e da esposa no Google (com direito a nevoeiro congelante na previsão do tempo). As lições que vai tendo sobre o “novo” idioma, o gradual entendimento da cultura local, a maneira como Boon faz com que o público se apaixone por aquele lugar até então descrito como apavorante, são o ponto forte do longa. O filme é ótimo, cinema francês da melhor qualidade, com bons atores, uma história muito envolvente e divertida. Recomendo a todos fãs de cinema que gostem de um filme de boa qualidade.

Veja mais no Cinema Detalhado.