logo


Desastrados

Virtual Companhia de Dança (SP) e Cie Ladainha (França)

Data: 25 e 26 de abril, 19h

Local: Teatro Molière (Aliança Francesa) – Salvador/BA

Ingressos: R$ 10,00 e R$ 5,00

Brasil e França se encontram no espetáculo. Coproduzida pela Virtual Companhia de Dança, sediada em São José do Rio Preto (SP), e pela Cie Ladainha, da cidade de Rennes, a montagem parte da ideia de que os corpos, com as suas variadas formas, histórias e conhecimentos, respondem de forma diferente a um mesmo estímulo ou desafio. Durante os 50 minutos de apresentação, divididos em cenas curtas, quatro bailarinos – a inglesa Michelle Brown, a paulistana Mariane Cerilo, o baiano Armando Pekeno e o pernambucano Rodrigo Castelo Branco – são, constantemente, desafiados e obrigados a saírem de suas zonas de conforto. Como resultado deste exercício, é criado um relato de ações mal-sucedidas, sobrepostas e simultâneas. De forma bem-humorada, os bailarinos constroem solos, duos, trios e quartetos, tendo como referências o cinema mudo, a música popular, a relação com apetrechos tecnológicos e o improviso.

As companhias

Virtual Companhia de Dança – Nascida em 2002, a companhia propõe uma dança que não se limita a um único método ou linguagem e que seja composta por um processo dinâmico de retro-alimentação que acompanha espaço, tempo e lugar. Sendo assim, o grupo absorve para as suas montagens materiais, elementos e pessoas dos lugares que visita, globalizando a criação e regionalizado o conteúdo.

Cie Ladainha – Formada pelo brasileiro Armando Pekeno e pela inglesa Michele Brown, a companhia de dança contemporânea francesa aborda em seus espetáculos “os instintos, as sensações, a lógica do sentido; aquilo que se desenvolve no mais profundo de nós mesmos, mas que não podemos expressar com palavras”. Com forte apelo social, as suas criações tratam de questões como o progresso e o consumo, através de uma extensa pesquisa coreográfica.

Por: Festival Internacional Viva Dança