logo


Cinema Detalhado: Aqui é o Meu Lugar (This Must be The Place)

Fonte imagem: The Guardian – Sean Penn in This Must Be The Place. Photo: Opulence Studios
Com previsão para estréia nos cinemas brasileiros ainda em Maio de 2012, Aqui é o Meu Lugar pode parecer que é um tipo de estréia do diretor italiano Paolo Sorrentino em solo americano. Não que não seja, até pelas locações e por boa parte do elenco ser encabeçada por atores americanos, mas na verdade é uma produção francesa. O que não deixa de ser curioso, ter uma obra francesa, realizada por um diretor italiano, filmada nos EUA, com boa parte do elenco local. O que confirma o quanto o cinema está globalizado, encurtando distancias e não se furtando a contar historias que fiquem restringidas a localidades de seus realizadores.
Aqui é o Meu Lugar tem um tom explicito de paródia, principalmente a um dos gêneros preferidos dos americanos: o road-movie. Porém, o trabalho de Sorrentino não se apega a ser apenas um mero pastiche. Em sua comicidade, principalmente pelas figuras atípicas, o diretor consegue inserir bons momentos dramáticos e outros até reflexivos. A trama acompanha os passos do folclórico ex-astro do rock Cheyenne (Sean Penn). Um sujeito estranho, que parece ter estacionado nos anos em que foi famoso. Seus cabelos desgrenhados, a maquiagem exagerada, os olhos tristes e um andar cambaleante comprova o quanto Cheyenne é deslocado no mundo em que vive. Em um de seus monótonos dias, o homem descobre que o seu pai está em vias de falecer, assim resolve visitá-lo. A partir dessa visita ao moribundo pai, é que Aqui é o Meu Lugar toma seu verdadeiro rumo, pois Cheyenne, descendente de judeus, resolve procurar o carrasco nazista que torturou seu pai durante a 2ª guerra e que vive tranquilamente em solo americano.