logo


Radicada no Brasil, francesa expõe ‘Pinturas recentes’ no Recife


Telas de Solange Magalhães ganham as paredes do Museu do Estado. Obras foram produzidas entre 2009 e 2011 e vão do figurativo ao abstrato.

O Museu do Estado de Pernambuco (Mepe) recebe, a partir desta sexta-feira (9), a exposição “Pinturas recentes”, da artista plástica Solange Magalhães. A pintora francesa é radicada no Brasil há 60 anos e passou boa parte deste período vivendo em Pernambuco.

Casada com o designer e artista plástico Aloísio Magalhães, Solange se apaixonou pelos temas e cores do Nordeste. A mostra traz para o Mepe 20 pinturas em eucatex e 38 em papel. As obras foram produzidas de período de 2009 a 2011, detalhe que motivou o título do evento, embora a artista ressalte que não gosta de nomear os seus trabalhos.

Em suas obras, Solange aborda assuntos diversos como as emoções humanas e a criação do mundo. Autodidata, a pintora cursou a faculdade de física durante três anos, e, por isso, acredita que a ciência interfere no seu estilo de pintar. Solange

Esta será a primeira vez que Solange Magalhães vai expor no Museu do Estado. Transitando entre o figurativo e o abstrato, a mostra destaca a importância do espaço para as artes plásticas e visuais em Pernambuco. “Eu não parto de uma ideia pré-determinada. Eu deixo mesmo a obra acontecer. O que mais está presente no meu trabalho é o caos e elementos como terra e fogo. Minhas pinturas são muito ligadas às coisas primeiras, que acho que estão dentro da gente”, diz a artista plástica.

Vida 
Nascida na França em 1939, Solange Magalhães veio morar no Rio de Janeiro com 13 anos de idade. Estudou física teórica na década de 1960, quando passou a se dedicar à pintura. Sua primeira mostra individual aconteceu em 1968 na galeria Goeldi, no Rio de Janeiro, a convite do crítico de arte Clarival do Prado Valladares. O texto de apresentação era assinado por Clarice Lispector.

Solange realizou várias exposições, principalmente nas cidades do Rio de Janeiro, Recife e São Paulo e também em países como Alemanha e França. Destacam-se as realizadas na Alemanha, em 1980 – uma mostra na Studien Galerie da Universidade de Stuttgart, a convite do professor Max Bense, além de outra mostra no Rio de Janeiro, em 1995, no Museu Nacional de Belas Artes, “Solange Magalhães, 30 anos de pintura, uma visão circular do mundo”.

A exposição “Pinturas recentes” ficará aberta ao público até o dia 8 de abril.

Solange Magalhães via G1.